Histórico

As afecções cardiovasculares, num amplo espectro que vai desresearch paper hook pad websitede o trauma relacionado a causas externas até as doenças do aparelho circulatório, são responsáveis por altos índices de morbimortalidade nas sociedades modernas. No Brasil as doenças do sistema circulatório, juntamente com acidentes e homicídios (causas externas), são responsáveis por cerca de 400 mil óbitos anualmente. Afecções cardiovasculares ocasionam uma em cada quatro mortes no país, e o novo modelo de composição por faixa etária da população brasileira retrata uma pirâmide populacional em que o número de habitantes com idade superior a 40 anos, início da faixa etária alvo das doenças cardiovasculares, é cada vez maior, corroborando a prevalência crescente e preocupante das moléstias cardiovasculares como a presente e futura grande causa de morbimortalidade entre a população em geral. Sabe-se ainda que a maior parte dessas mortes ocorre antes de o paciente chegar ao hospital, ficando clara a absoluta necessidade de socorro imediato. Dessa forma, a educação pública e a popularização das manobras de reanimação são essenciais para obter redução da taxa de mortalidade em situações de caráter emergencial. Muitos trabalhos demonstram que comunidades treinadas em suporte básico de vida que contam com serviços médicos de emergência rápidos e eficientes conseguem redução significativa dos índices de morbi-mortalidade.

Considerando essa problemática e a patogênese da Parada Cardiorrespiratória – PCR, a “American Heart Association – AHA”, em associação com o “European Resuscitacion Council – ERC” criou o curso “Basic Life Support – BLS” (Suporte Básico de Vida – SBV), com duração de quatro horas, em média, cujo principal objetivo é capacitar leigos em conhecimentos teóricos e desenvolver atividades práticas visando ao treino de técnicas de reanimação. No curso são abordadas a prevenção de PCRs através da adoção de hábitos salutares, o tratamento de ataques cardíacos através de reconhecimento imediato e realização precoce de manobras de reanimação e a manutenção da ventilação e da circulação da vítima em PCR até que o tratamento médico definitivo possa ser iniciado. O maior número possível de pessoas deve ser treinado. A atuação em situações de emergência demanda, sobretudo, motivação e treino.

Atentos à importância da propagação das técnicas básicas de emergência cardiovascular, os estudantes de Medicina Mário Luiz Guerra de Castro, Rômulo Ferndandes Augusto Filho e Carlos Jaime de Araújo Filho criaram, em 16 de setembro de 1996, o Programa de Educação em Reanimação Cardiorrespiratória – PERC, Projeto de Extensão Universitária vinculado ao Departamento de Medicina Clínica da Faculdade de Medicina-FAMED e à Pró-Reitoria de Extensão da Universidade Federal do Ceará – UFC, que vem buscando, nestes mais de 20 anos de devotado trabalho, realizar atividades considerando um objetivo maior: a capacitação dos integrantes e a difusão social, científica e acadêmica de conhecimentos em técnicas de primeiros-socorros e reanimação cardiorrespiratória.

Em 2019, sob orientação da Prof. Dra. Virna Costa e Silva, foi criado o Programa de Educação em Reanimação Cardiorrespiratório Pediátrico (PERC-PED) vinculado ao Departamento de Saúde Materno Infantil da FAMED, com o intuito de expandir a atuação do PERC de emergências pediátricas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *